A Skol Diálogos realizou uma pesquisa entre os brasileiros para entender e mensurar quais os tipos de preconceitos mais frequentes em nosso dia a dia, e a homofobia está em primeiro lugar entre as discriminações que as pessoas assumem fazer.

Realizado em todas as regiões do país, o estudo mostram que, embora 83% dos entrevistados se declarem não preconceituosos, 72% já fizeram algum comentário ofensivo. Ou seja, sete a cada 10 brasileiros já disseram alguma frase “quadrada”.

A pesquisa foi realizada pelo Ibope e se baseou em quatro tipos de preconceito mascarados por frases usuais: machismo, LGBTfobia, estético e racial e todas elas estão presentes no cotidiano do brasileiro, sendo praticado ou apenas presenciado.

O machismo está presente no cotidiano de 99% dos ouvidos. 61% já pronunciaram algum comentário machista, mesmo que alguns não reconheçam o preconceito. A LGBTfobia foi citada como o principal preconceito entre os brasileiros que se declararam preconceituosos, com índice de 29%.

Embora 45% dos brasileiros consigam perceber o preconceito em frases ditas ou ouvidas em seu convívio, metade destas pessoas diz não reagir ao ouvir um comentário preconceituoso. Quando existe reação, as mulheres são maioria e correspondem a 60%. Já os homens detectam menos comentários preconceituosos: 57%.

Segundo Ricardo Sales, pesquisador em diversidade na USP, o preconceito está naturalizado na sociedade brasileira. ”A pesquisa alerta para a necessidade de falar mais sobre o assunto e refletir sobre atitudes que impedem o respeito e a conexão entre as pessoas no dia a dia”, comenta.

Veja o infográfico com os resultados da pesquisa:


Veja também:

LGBTfobia na escola: quase 20% dos alunos não querem colegas gay ou trans

Pesquisa mostra que pais gays são mais envolvidos na vida escolar dos filhos

Related Posts

Comentários

Comentário