O cantor Lucas Miziony, que iniciou sua carreira no mundo gospel, causou nas redes sociais ao sair do armário e apresentar seu mais novo trabalho, o álbum Homem ou Mulher, em que aparece montado de drag queen na capa.

No passado, o cantor chegou a lançar dois discos evangélicos, “Senhor absoluto” e “Ponteiro de Deus”, com o sobrenome Fernandes, e agora conta que iniciará uma nova fase, mais livre e sem máscaras.

“Não estava mais me sentindo bem cantando na igreja. Foram muitos anos de luta, fazendo jejum, consagração, indo para vigílias, para monte, pedindo oração, fazendo consagração, tentando reverter algo dentro de mim que, na verdade, era irreversível. Daí pensei e decidi viver sem máscaras, viver sem querer agradar as pessoas, deixando de ser eu mesmo”, revelou o rapaz ao Portal T5.

O cantor diz se espelhar na drag queen Pabllo Vittar, além de divas do pop como Ludmila, Anitta, e Beyoncé. Em seu novo EP, Lucas pretende cantar contra o preconceito, e levar a mensagem do amor e do respeito.

Homossexualidade e religião

Sua saída do armário tem gerado críticas dentro das instituições religiosas, o que fez crescer novamente o debate sobre a homossexualidade e religião. Para Lucas, há muitos gays que precisam esconder sua sexualidade para não serem reprimidos, até mesmo líderes religiosos.

“Tem muita gente que tem medo de perder carreira e ministério, tem muito gay escondido dentro da igreja, existem pastores, cantores, pregadores, existem missionárias, fazendo tudo escondido. Cheguei a ficar até mesmo com um pastor famoso, alguns deles fazem isso e depois chegam na tribuna da igreja e dizem ser pecado”, conta.

Sobre o novo projeto, o cantor diz que pretende lançá-lo em dezembro, pelas plataformas digitais. Ouça uma prévia do primeiro single:


Veja também:

Gay e soropositivo, jovem usa a música para falar de liberdade

Lucy Alves estreia clipe de nova música dançante com direito a beijo lésbico

Related Posts

Comentários

Comentário