Por Theo Borges*

A Netflix chegou ao mercado trazendo a inovação da distribuição por meio do streaming, apresentando um serviço de qualidade, e com muitos produtos originais, mas o que mais chama atenção no canal, é a representatividade em suas produções, além de conteúdos próprios que trazem recortes específicos, como para a população negra, para LGBTs e mulheres.

Selecionamos 11 documentário que falam sobre mulheres, de biografias à histórias sobre a luta por direitos. Deixe o seu comentário, crítica ou sugestão. Faltou algum título incrível que está no catálogo e não colocamos na lista? Quais desses filmes você já assistiu e recomenda?

1 – What Happened Miss Simone?

O documentário de Liz Garbus foi selecionado para os festivais de Sundance e Berlim, narra a trajetória de uma das lendas da música americana e ativista política. Nina Simone tem sua história contada desde a infância até a morte, em 2003.

2 – She’s Beautiful When She’s Angry

O filme provocador de Mary Dore, traz uma linha história das lutas de mulheres poderosas que encabeçaram o movimento feminista entre 1966 e 1971 nos EUA, com nuances entre os grupos que promoviam debates em ambientes acadêmicos, por exemplo, até militantes que queimaram sutiãs em praça pública.

3 – Crescendo como Coy

O longa de Eric Juhola narra a história de uma jovem família norte-americana que se envolve em uma batalha legal amplamente divulgada em um caso que se tornou referência em processos por direitos civis, quando lutam para que sua filha Coy Mathis, transgênera de seis anos de idade, tenha o direito de usar o banheiro das meninas em sua escola primária, no Colorado.

O caso histórico da família Mathis, em 2013, foi o primeiro nos Estados Unidos que obteve decisão favorável para que uma jovem transexual utilize os banheiros que correspondam com a sua identidade de gênero. O filme traz uma pergunta universal que qualquer pai poderia enfrentar: “Até onde você lutaria para que sua criança tenha direitos iguais aos demais?”

4 – Nascidos em Bordéis

A fotógrafa Zana Briski e o cineasta Ross Kauffman foram à uma das regiões mais marginalizadas e pobres da Índia para quebrar tabus. Na cidade de Calcutá funciona a zona de prostituição Sonagachi, onde a fotógrafa iniciou um workshop com os filhos das garotas de programa da região. Logo, meninos e meninas acostumados com a exclusão provaram do poder transformador da arte.

5 – The 100 Years Show 

O filme de Alison Klayman traça o perfil abstrato e minimalista da artista pioneira Carmen Herrera, que obteve fama e reconhecimento com quase cem anos de idade.

6 – Daughters of Destiny

A única série da lista, Daughters of Destiny mostra a incrível história da escola Shanti Bhavan, que mudou inúmeras vidas para melhor. Desde 1997, o local oferece educação grátis para algumas das crianças mais carentes e sub-representadas da Índia – os “mais pobres entre os pobres”.

7 – Iris

O premiado documentarista Albert Maysles conta a vida de uma lenda da moda, ainda na ativa aos 93 anos, aconselhando modelos e pechinchando com os compradores.

Mais do que um filme sobre moda, é a história de Iris Apfel, uma mulher singular e seu entusiasmo pela moda e arte, que encara como um experimento na vida. Um retrato sobre a criatividade, valores e trabalhos éticos durante a Grande Depressão e a importância de manter esses mesmos termos em um mundo repleto de glamour.

8 – Whitney I Be Me

O novo documentário sobre a cantora norte-americana Whitney Houston (1963-2012), dirigido por Nick Broomfield, faz uma viagem sobre a trajetória da artista e questiona as possibilidades que ela teve (ou não) de ser ela mesma no mundo da fama, cercado de aparências.

9 – Ilegal

O filme mostra a luta pela regulamentação da maconha medicinal, através do movimento de mães pela legalização de remédios derivados da cannabis, proibidos no Brasil.

O documentário foi realizado pela produtora paulistana 3Film em parceria com a revista Superinteressante, e nasceu após uma reportagem de Tarso Araújo, jornalista, um dos diretores do filme, e idealizador da campanha Repense, viabilizada por crowdfunding. Após o início da campanha, a menina Anny Fischer, portadora de uma epilepsia rara, tornou-se a primeira pessoa com autorização para usar cannabis medicinal no Brasil.

10 – I am Jane Doe

O intenso filme de Mary Mazzio apresenta histórias de mães de adolescentes norte-americanas, que processaram o site Backpage.com, uma seção para adultos do jornal Village Voice, depois de terem sido utilizadas as imagens das filhas em publicidade de caráter sexual. A atriz Jessica Chastain assume aqui o papel de narradora ao longo dos 90 minutos de filme, onde também é possível ouvir o testemunho de senadores norte-americanos, antigos funcionários do Village Voice, agentes do FBI e antigos analistas da CIA.

11 – Marias: A fé no feminino

Com a direção de Joana Mariani, Marias é uma incursão profunda pela fé ao símbolo feminino na América Latina. Passando por Brasil, Cuba, México, Peru e Nicarágua, acompanhando as festas das padroeiras desses países, e todas as ‘Nossas Senhoras’. Observando as semelhanças e diferenças entre suas culturas e buscando vozes com grandes histórias para contar.


Theo Borges é jornalista e pesquisador do Cinema Gay. Ativista LGBT, e cofundador do projeto Nosso Amor Existe.

Related Posts

Comentários

Comentário